Cidades da Escócia: Edimburgo, Glasgow e Aberdeen

Dos viajantes que elegem a Escócia como destino, poucos são os que se arrependem. O pequeno território tem inúmeros encantos para descobrir.

Para os amantes da História, poucas cidades se comparam com Edimburgo e Glasgow; os amantes da boa comida e bebida têm à sua espera pratos típicos (entre os quais o “haggis”) e whiskies da ilha de Islay ou de Oban; e os amantes da natureza vão ficar deslumbrados pelos cenários de montanha das Highlands e pela vida selvagem.

O Que Ver em Edimburgo

A cidade de Edimburgo, situada na margem do estuário do rio Forth, é a capital da Escócia desde 1492 e sede do parlamento escocês. É segunda maior cidade do país com uma população aproximada de 450 mil habitantes.

Edimburgo encontra-se dividida em duas áreas distintas: a parte antiga (“Old Town”) onde domina a cidade medieval com as suas ruelas e becos, e a parte nova (“New Town”) caracterizada pela quadrícula ordenada da cidade georgiana e pelas elegantes fachadas neoclássicas.

Estas duas áreas foram designadas Património Mundial da Humanidade pela UNESCO em 1995.

A “Old Town” preserva o seu cariz medieval, com ruas pitorescas e grandes praças, onde pode encontrar expoentes máximos da arquitetura como a Catedral de Saint Giles, o museu Real da Escócia, o museu Surgeons Hall, a Universidade de Edimburgo, e a famosa Royal Mile que liga os dois principais pontos históricos da cidade, o castelo de Edimburgo e a Abadia de Holyrood. A Royal Mile é constituída por diversas ruas, tais como a Castle Esplanade, Canongate ou a Abbey Strand, entre outras, onde pode encontrar lojas pitorescas, cafés, bares e restaurantes.

Vista do Castelo de Edimburgo
Vista do Castelo de Edimburgo

O Castelo de Edimburgo domina a paisagem urbana, sendo o principal símbolo da cidade. Numa visita ao Castelo, não deve deixar de conhecer as joias da Coroa Escocesa, a Pedra do Destino, a sala da Coroa, a capela de Santa Margarida, e usufruir da bela panorâmica sobre a cidade.

A “New Town” foi construída entre 1765 e 1850 e pensada pelo arquitecto James Craig. Nesta parte da cidade, pode encontrar a elegância dos edifícios georgianos e as principais artérias comerciais da cidade – Princes Street, George Street ou Broughton Street. As principais atracões artísticas e culturais são a Galeria Nacional da Escócia, com uma impressionante coleção de arte europeia, a Galeria de Fotografia Escocesa, o Scott Monument e o Old Calton Burial Ground.

No que diz respeito aos pontos de interesse, nota ainda para o museu de Arte Contemporânea Dean Gallery, o museu interactivo Dynamic Earth, o parlamento, e o Scottish Mining Museum.

A cidade é internacionalmente conhecida pelo Festival de Edimburgo, que ocorre nas últimas três semanas de Agosto. Este Festival teve o seu início em 1947 para enaltecer o espírito humano no pós-guerra, e compreende inúmeras apresentações e espetáculos de ópera, dança, teatro e música clássica, recebendo anualmente mais de um milhão de visitantes.

Incluídos nesta grande festa encontram-se reunidos diversos eventos como o Edinburgh International Jazz and Blues Festival, o Edinburgh Festival Fringe, o Edinburgh International Book Festival, o Edinburgh Military Tattoo, e o Edinburgh International Film Festival.

Próximo de Edimburgo pode descobrir a beleza dos campos escoceses na região de Lothian, onde pode visitar diversas casas históricas e castelos, encontrar os melhores campos de golfe do mundo, e caminhar ou passear de bicicleta ao longo da costa e descobrir as Colinas de Pentland, no extremo da cidade.

O Que Ver em Glasgow

A cerca de 50 km de Edimburgo situa-se a maior cidade da Escócia, Glasgow. Considerada como a mais bela cidade vitoriana do Reino Unido, a história de Glasgow encontra-se associada desde sempre à atividade comercial, em particular ao comércio transatlântico.

A cidade, com cerca 600 mil habitantes (a área metropolitana ascende a um 1,7 milhões), é o principal centro económico do país, onde predomina o sector terciário, nomeadamente os serviços associados à atividade financeira, às comunicações e às biociências, bem como ao sector industrial, com o predomínio da construção e da reparação naval.

O centro da cidade, conhecido entre os locais como “The Toon”, é constituído pelas artérias principais Sauchiehall Street, com as suas edificações Arte Nova de Charles Rennie Macintosh, Argyle Street, e Buchanan Street que formam a principal área comercial da cidade. A Merchant City corresponde ao centro histórico, propriamente dito, com os edifícios típicos do século XVIII e o Tron Theatre. O coração medieval é dominado pela catedral de Glasgow, uma obra-prima do gótico, e o museu de San Mungo.

Se no passado, Glasgow convivia sob o fantasma do desemprego industrial, da recessão económica, da violência urbana, atualmente vive uma fase de expansão e vitalidade suportadas por um programa auspicioso de regeneração urbana.

Buchannan Street, Glasgow. Autor: Kilnburn
Buchannan Street - Glasgow

Integrada no projecto da UNESCO associado às cidades criativas, e tendo ainda, a par de Bolonha e Sevilha, o estatuto de Cidade da Música concedido pela UNESCO, Glasgow é atualmente uma cidade que passou pelas dificuldades da depressão industrial e se transformou num dos principais polos culturais das ilhas britânicas.

Ao longo das duas últimas décadas, Glasgow tem-se evidenciado no panorama cultural, artístico e científico tanto no Reino Unido, como a nível internacional. Em 1990, foi cidade europeia da cultura; em 1999, foi a cidade da arquitectura e do design; e em 2003, a cidade do desporto. Em 2014, será a sede dos Jogos da Commonwealth.

No panorama cultural, Glasgow possui um programa anual de artes do espetáculo e festivais, entre os quais se destacam o Festival Internacional de Jazz e o Celtic Connections, que é o maior festival de inverno a nível mundial associado à música e cultura celtas.

O Que Ver em Aberdeen

Seguindo para norte, a cerca de 230 km de Glasgow, encontra-se a cidade de Aberdeen, situada na foz dos rios Dee e Don e com uma população aproximada de 200 mil habitantes. No passado, a cidade foi um importante porto de pesca, que, com a descoberta de gás natural e de petróleo no Mar do Norte, rapidamente se transformou num entreposto para auxiliar as necessidades da indústria petrolífera.

Conhecida como a “cidade granítica” ou a “cidade prateada”, devido ao facto de os seus edifícios serem construídos com base nesta rocha, Aberdeen tem sabido aproveitar a entrada de capitais e de população estrangeira para trabalhar nas plataformas, transformando-se numa cidade próspera e cosmopolita.

Os principais pontos de interesse da cidade são a Galeria de Arte, o museu The Gordon Highlanders, o museu Marítimo, o edifício medieval Provost Skene e a Union Street, a principal artéria comercial, com os seus belos edifícios e lojas das mais variadas marcas. Na cidade, é possível visitar ainda algumas das mais antigas destilarias de whisky do mundo.

A partir de Aberdeen, é possível seguir o chamado “Coastal Trail” e descobrir quilómetros de deslumbrantes paisagens costeiras na região de Aberdeenshire, que incluem falésias, praias e enseadas, e faróis históricos, com destaque para as praias de Balmedie, Cruden Bay e Rattray Head, com o seu farol

Também de Aberdeen, pode partir em direcção às Highlands e viajar por paisagens únicas dominadas por castelos como Stirling, Dunvegam, Eilean Donan ou Urqhuart, passar por vales fascinantes, visitar o mítico Loch Ness, realizar caminhadas pelos montes de Glen Nevis, ou ainda rumar em direção à ilha de Skye.

Quando Ir

Genericamente, a melhor época do ano para visitar a Escócia corresponde ao período entre maio e setembro, quando os dias são mais longos e as temperaturas mais agradáveis.

A precipitação é abundante durante todo o ano, sendo aconselhável levar na bagagem um impermeável e um guarda-chuva, mesmo nos meses de verão.

Se visitar Edimburgo durante o mês de agosto, por altura dos festivais, é aconselhável reservar hotel com a maior antecedência possível, pois é o período do ano com mais afluência de turistas.

Como Ir

A partir de Lisboa pode viajar para Edimburgo, através da easyjet, com tarifas low cost. Não existem ligações diretas entre Portugal e Glasgow. A opção mais económica é viajar na British Airways que oferece as rotas entre Lisboa e Edimburgo, Glasgow e Aberdeen, via Londres.

A KLM, a Air France e a TAP também oferecem voos com escalas para estes destinos. Em campanhas promocionais é possível conseguir tarifas de 179 euros para a rota Lisboa-Edimburgo nas companhias aéreas KLM e Lufthansa.

Para encontrar as melhores tarifas, consulte a nossa página de pesquisa de voos.

Onde Ficar

A Escócia oferece uma grande variedade de alojamentos de boa qualidade por todo o território desde hotéis, aos típicos “Bed & Breakfast”, ou às casas de campo (country houses).

Para pesquisar as melhores ofertas de alojamento em território escocês consulte o site da Booking.com.

Saber Mais

Para informações pormenorizadas sobre o país consulte os sites oficiais de Turismo da Escócia, e das cidades de Edimburgo, Glasgow e Aberdeen.

SEM COMENTÁRIOS