À Descoberta do Parque Nacional Peneda-Gerês

O Parque Nacional Peneda-Gerês, situado no Noroeste de Portugal, ocupa cerca de 72 000 hectares que se estendem pelos distritos de Braga, Viana do Castelo e Vila Real.

É o único parque nacional existente em território nacional tendo sido criado a 8 de Maio de 1971 com o objectivo de conservar a paisagem e os recursos naturais, bem como a valorização das actividades humanas.

O parque inclui grande parte das serras Amarela, da Peneda, do Soajo e do Gerês e prolonga-se pelos planaltos de Castro Laboreiro e de Mourela.

A área do parque apresenta características únicas do ponto de vista da paisagem natural mercê da influência atlântica, mediterrânica e continental, e da natureza e orientação do relevo que concedem ao parque condições ideais para a presença de uma flora que se caracteriza pelas matas de carvalho, os pinhais, os vidoeiros e as florestas de bétula e de teixo.

Do ponto de vista geológico destacam-se os efeitos da última glaciação como os circos glaciares, as pequenas lagoas e os vales em forma de U existentes nas áreas de altitude, nomeadamente nas cabeceiras dos vales dos rios Vez, Homem e Couce.

Com mais de 600 espécies de flora e mais de 230 espécies diferentes de fauna, o património natural do Parque Nacional da Peneda-Gerês é único no contexto do território português.

O Parque Nacional da Peneda-Gerês situa-se numa região onde os hábitos culturais das populações serranas, o modo de organização social, e as tradições de cariz comunitário ainda subsistem. As aldeias isoladas, os espigueiros, os prados, ou a agricultura em socalcos são marcas de uma ruralidade que permanece e que tem sido preservada.

Guia de viagem para o Gerês
À Descoberta do Gerês
A barragem da Caniçada no rio Cávado, próxima de Vieira do Minho, foi construída em 1954 no âmbito do plano de aproveitamento hidroeléctrico e constitui uma das mais belas paisagens erigidas pelo Homem em território naconal. Próximo do rio Caldo e às pontes do Gerês e de São Bento da Porta Aberta pode desfrutar de uma magnífica paisagem e passear de barco.

As Caldas do Gerês, situadas em pleno parque, continuam com o encanto de outrora com a recuperação de alguns antigos hotéis desta povoação termal. Já conhecidas dos Romanos, a estância termal foi mandada construir pelo rei D. João V. Particularmente recomendadas para as doenças do fígado, obesidade ou diabetes, estas termas oferecem diversos programas num enquadramento paisagístico luxuriante.

A aldeia de Lindoso conhecida pelos espigueiros e pelo seu castelo datado do século XIII é outro dos locais a visitar. Em torno das muralhas pode apreciar as serras e os vales profundos que dominam a paisagem. Uma das atracções é a eira dos 48 espigueiros dos séculos XVII e XVIII e que corresponde a um aglomerado particular de beleza única.

Tal como Lindoso, a aldeia de Soajo apresenta um conjunto de espigueiros de grande interesse cultural e histórico onde pode ainda ver o pelourinho e as casas típicas de granito.

A aldeia de Pitões da Júnias situada no concelho transmontano de Montalegre é uma das povoações mais pitorescas desta região. A sua origem encontra-se profundamente associada ao Mosteiro de Santa Maria das Júnias, cuja data de fundação aproximada será 1147 e que foi posteriormente integrada na Ordem de Cister durante o século XIII. A aldeia encontra-se bem preservada com as suas habitações tradicionais de aparência medieval e constituem um lugar de excepção a visitar dentro do parque.

As comunidade locais desenvolveram ao longo do tempo uma actividade essencialmente agro-pastoril tendo conseguido até hoje manter uma identidade comunitária única que procura manter a ligação entre a terra e os animais e que se encontrava patente, por exemplo, na aldeia de Vilarinho das Furnas, submersa pela barragem.

Testemunhos de outrora ainda permanecem na paisagem como são o caso das inverneiras, os fojos de lobos, sendo que o mais conhecido é o fojo da aldeia de Fafião, as silhas dos ursos, as pequenas povoações dispersas pelos montes e as eiras comunitárias.

O Parque Nacional da Peneda-Gerês é, assim, uma região ideal para uma descoberta às raízes portuguesas e à exploração de uma das mais belas paisagens naturais e humanas existentes em Portugal.

Quando Visitar

O parque pode ser visitado em qualquer altura do ano. No entanto é necessário ter em consideração alguns aspectos, como verificar sempre as previsões meteorológicas aquando da realização de actividades ao ar livre; na realização de percursos pedestres deve utilizar roupa confortável, levar alimentos, água e protector solar; e deve evitar caminhadas em zonas húmidas e escorregadias.

Onde Ficar

Para verificar as melhores ofertas nesta região consulte o site da Booking.com onde pode encontrar os preços mais económicos na reserva de hotéis, pousadas, ou casas de turismo rural e de habitação.

Saber Mais

Para obter mais informações sobre este destino consulte o site oficial do Parque Nacional da Peneda-Gerês onde pode obter informações sobre percursos pedestres e de automóvel, sugestões de visita, pontos de interesse, normas e recomendações, etc.

SEM COMENTÁRIOS