Itinerário no Vale do Douro: do Porto a Lamego

Para visitar o vale do Douro e a região vinhateira, sugerimos um itinerário que começa no Porto, passa por Amarante, Pinhão e Foz Côa, sugere visitas guiadas às vinhas e caves de vinho (do Porto e não só), e inclui provas e degustações de produtos regionais. São seis dias para conhecer o melhor que esta região tem para oferecer.

Seis dias
500 km (ida e volta)

1Caves do Vinho do Porto

Porto, Rio Douro

A viagem tem início no Porto com a visita obrigatória às Caves do Vinho do Porto em Vila Nova de Gaia naquela que é a primeira de muitas degustações ao longo da semana. A casa Sandeman é uma das mais conhecidas, mas pode consultar aqui as diversas visitas guiadas organizadas pelas empresas produtoras do vinho do Porto. Em geral, todas terminam com uma prova de vinhos.

Aproveite ainda para passear e almoçar na zona da Ribeira. Deixamos algumas sugestões de restaurantes:

  • Adega São Nicolau (R. de São Nicolau, 1): um dos restaurantes mais pitorescos da zona, com cozinha saborosa e uma pequena esplanada com vista para o rio Douro.
  • Dom Tonho (Cais da Ribeira 13-15): a famosa francesinha é uma das especialidades deste restaurante com janelas panorâmicas para o rio Douro.
  • DOP (Palácio das Artes, Largo de S. Domingos, 18): o chefe de cozinha Rui Paula propõe uma viagem aos sabores clássicos da cozinha portuguesa.

A visita não fica completa sem um cruzeiro num barco rabelo pelas pontes e Foz do Douro. O embarque faz-se no Cais da Estiva no Porto ou no Cais de Vila Nova de Gaia. O bilhete custa cerca de 12,50€ por pessoa para uma viagem de 50 minutos.

Onde ficar
Consulte aqui as melhores ofertas de alojamento no Porto.

2Penafiel e Amarante

Conduza em direcção a Penafiel (40 km) e aproveite para uma prova do famoso vinho verde (Casal Garcia) e degustação de queijo na Quinta da Aveleda, que organiza visitas guiadas às adegas e aos belíssimos jardins.

Continue até Amarante (25 km), uma cidade com vários pontos de interesse. O principal é a ponte velha (ou ponte de São Gonçalo), símbolo da cidade, de onde se tem uma bela vista sobre o rio Tâmega e a parte histórica. A igreja de S. Gonçalo, mandada construir em 1540, é outros dos pontos de visita obrigatórios. Em volta da ponte velha de Amarante, vai encontrar várias esplanadas, pastelarias com doçaria regional e bons restaurantes.

Em Amarante, aproveite para passear no centro histórico onde pode apreciar os edifícios típicos, nalguns dos quais pode ver assinalada a altura da água das cheias do rio Tâmega ao longo dos anos. Visite ainda o Museu Amadeo de Souza-Cardoso, que expõe obras de artistas e escritores portugueses.

Onde ficar
O Hotel Casa da Calçada é um hotel de luxo num edifício do século XVI, junto à ponte velha, onde se insere o restaurante Largo do Paço com uma estrela Michelin, que serve gastronomia da região acompanhada de uma vasta carta de vinhos.

3Peso da Régua

Siga para Peso da Régua (60 km) que, não sendo a localidade mais bela da região, é considerada a capital da região demarcada. Vale a pena parar para visitar o Museu do Douro, que dá a conhecer a história da região e dos vinhos aqui produzidos.

Faça um desvio até à Casa de Mateus, um solar barroco mandado construir no século XVIII onde é produzido o famoso vinho rosé. Existem duas modalidades de visita: interior da casa, capela e jardins, e apenas jardins.

Onde ficar
A Casa do Romezal, rodeada por vinhas e com vistas deslumbrantes sobre o vale do Douro, é um alojamento rústico que oferece quartos confortáveis e com todas as comodidades. A Quinta do Vallado é um hotel de design cercado por vinhas que se estende ao longo das margens do rio Corgo.

4Pinhão

De volta ao vale do Douro, em direcção ao Pinhão (30 km), faça um desvio para o Miradouro de S. Leonardo em Galafura que oferece uma vista magnífica sobre o rio e o vale do Douro.

Em Pinhão, visite a estação ferroviária, considerada a mais bela do Douro, onde pode apreciar os azulejos que retratam a produção do vinho do Porto, desde as vindimas, o pisar das uvas até ao transporte do vinho em barcos rabelo rio abaixo até às caves em Vila Nova de Gaia. Também aqui encontra um museu e uma loja de vinhos.

Onde ficar
O Vintage House Hotel – Douro numa antiga propriedade vinícola do século XVIII é uma das sugestões de alojamento na região, a par da Quinta Nova – Luxury Winery House, situada em 120 hectares de vinhas do vale do Douro.

5Foz Côa

Atravesse para a margem sul do rio Douro e siga até Vila Nova de Foz Côa (65 km). No Parque do Côa, faça uma visita guiada em viaturas todo-o-terreno às gravuras rupestres. O preço da visita é de 10€ (ou 12€ incluindo o museu). É necessária marcação prévia para a visita às gravuras. Consulte a página do Parque do Côa para mais detalhes.

ponte-douro

Onde ficar
Nesta área predomina a oferta de alojamento em turismo rural e de aldeia. Em Vila Nova de Foz Côa, o Bairro do Casal – Turismo d’Aldeia dispõe de quartos em casas típicas de pedra e madeira. A Quinta das Aveleiras fica localizada a alguns quilómetros, em Torre de Moncorvo, numa quinta com vinhas, oliveiras, amendoeiras e aveleiras. O hotel disponibiliza bicicletas para explorar a região.

6Lamego

De regresso ao Porto, pare para admirar a ponte medieval em Ucanha (110 km) e faça uma visita ao mosteiro de São João de Tarouca, o primeiro mosteiro cisterciense em território português, fundado no século XII.

Em Lamego (10 km), suba a escadaria com mais de 600 degraus até ao Santuário de Nossa Senhora dos Remédios, cuja construção se iniciou no século XVIII ficando concluída apenas em 1905.

A última paragem deste itinerário é nas Caves da Raposeira em Lamego, onde se produz o vinho espumante com o mesmo nome, e que possui uma sala de provas para os visitantes que querem conhecer os seus espumantes.

SEM COMENTÁRIOS