4 Dias na Islândia: Guia Completo de Viagem

Se gosta de viagens de automóvel, aproveite este itinerário para visitar a Islândia. Incluímos sugestões de alojamento e locais onde comer.

Na Islândia, vai descobrir um paraíso natural, onde glaciares, vulcões e quedas de água são os elementos dominantes da paisagem.

Num país onde os transportes públicos não abundam, o carro acaba por ser a melhor forma de explorar este destino. Além disso, alugar um carro permite ajustar o itinerário ao longo da viagem.

Locais a Visitar

Com a duração de quatro dias, este é um dos roteiros clássicos da Islândia – de Reiquiavique à costa sul do país, através do Triângulo Dourado, com paragem na Lagoa Azul.

Quando Ir

A melhor época para visitar a Islândia é no Verão, ou seja, entre Junho e Agosto, quando os dias são longos (ou intermináveis durante o sol da meia-noite) e as temperaturas são relativamente suportáveis.

No entanto, é neste período que este destino, cada vez mais popular, recebe enchentes turistas. Os preços dos hotéis e das passagens aéreas costumam ter preços mais elevados.

Dia 1: Chegada a Reiquiavique / Lagoa Azul

Lagoa Azul

Lagoa Azul

Distância: 50 a 70 km

Ao chegar, pode alugar o carro directamente no aeroporto de Keflavik. Reiquiavique fica apenas a 45 minutos de distância, e a Lagoa Azul é um pequeno desvio de 22 km, ou 20 minutos, pelo que será uma boa ideia aproveitar para recuperar da viagem e visitar a capital islandesa.

Dependendo do horário dos seus voos, poderá planear uma paragem na Lagoa Azul, ou deixar esta visita para o último dia deste itinerário.

Na Lagoa Azul, poderá relaxar nas águas quentes, com temperaturas em redor dos 38ºC, que convidam a banhos num cenário único onde o azul das águas contrasta com os campos de lava. Esta experiência única não é propriamente barata, mas vale todo o dinheiro despendido. As entradas na Lagoa Azul custam desde 50€ (standard) e 80€ (premium), sendo necessário reservar previamente.

Em Reiquiavique, aproveite para passear na Laugavegur, uma rua e zona pedonal com diversas lojas (e preços pouco convidativos), e visitar a impressionante igreja de Hallgrímur. Para desfrutar da melhor vista sobre a cidade, suba o elevador até ao topo da torre. Se sobrar tempo, aproveite para conhecer a história da Islândia no Museu Saga.

Onde Comer em Reiquiavique

Para uma refeição rápida, o Café Paris é o local ideal, onde poderá também observar a vida da cidade. Para um jantar mais composto, o Við Tjörnina (que significa “Junto à Lagoa”) é um dos mais famosos restaurantes de peixe e marisco de Reiquiavique. O restaurante está localizado no interior do edifício da Câmara Municipal de Reiquiavique.

À noite, a Laugavegur é também o ponto de encontro dos islandeses, que fazerem a ronda pelos bares mais populares da capital islandesa.

Onde Ficar em Reiquiavique

A Islândia não é um país barato, o que ficará claro assim que começar a procurar alojamento. Em Reiquiavique, a oferta é vasta. Com conforto e sem pagar uma fortuna, deixamos algumas sugestões:

Dia 2: Triângulo Dourado / Seljalandsfoss / Vik

Gullfoss

Gullfoss

Distância: 230 km

O Parque Nacional Thingvellir (Þingvellir em islandês) fica apenas a 45 minutos de Reiquiavique. Trata-se de um dos locais mais visitados da Islândia, fazendo parte do circuito turístico “Triângulo Dourado”, que inclui o géiser Strokkur e a queda de água Gullfoss.

O géiser Strokkur entra em actividade a cada 4 a 8 minutos, atingindo uma altura que ultrapassa muitas vezes os 40 metros. Neste local, visite também o Geysir Center, onde pode ficar a saber tudo sobre este fenómeno geológico.

A Gullfoss tem uma largura de 70 metros e uma altura de 32 metros, sendo alimentada pelas águas do degelo provenientes do glaciar Langjökull. Os acessos pedonais oferecem a possibilidade de chegar muito perto das quedas de água e admirar toda a força da natureza.

À tarde, conduza até Vik (cerca de 170 km) parando em Seljalandsfoss pelo caminho. Esta queda de água, com uma altura de 60 metros, localiza-se ainda próximo do circuito turístico, pelo que é também bastante popular.

O que distingue a Seljalandsfoss de outras quedas de água é o caminho circular que passa por trás da queda, e que no Verão os visitantes podem facilmente percorrer. Vá equipado com calçado adequado para o chão escorregadio, e prepare-se para ficar molhado.

Praia de areia preta em Vik

Siga depois para Vik, a localidade mais a sul da Islândia. Com apenas 300 habitantes, Vik tem praias de areia preta enquadradas numa paisagem deslumbrante. É um excelente local para passar a noite.

Onde Comer em Vik

Sendo um destino relativamente turístico, Vik oferece diversas opções. Os restaurantes Strondin, Halldorskaffi e Sudur Vik são boas escolhas, onde poderá provar pratos típicos como o cordeiro ou a truta do Árctico, mas também pizza cozida em forno de lenha.

Onde Ficar em Vik

A oferta de alojamento em Vik é mais limitada do que na capital islandesa. Deixamos duas sugestões:

Dia 3: Parque Nacional Skaftafell / Jökulsárlón / Hnappavellir

Lagoa de Jökulsárlón

Distância: 360 km

No terceiro dia, conduza de Vik até ao Parque Nacional Skaftafell no sudeste da Islândia. Siga para norte até Skaftafellsjökull, uma língua do glaciar Vatnajökull, o maior da Europa e que cobre 11 por cento da superfície da Islândia.

Os visitantes podem fazer caminhadas na área circundante e obter as melhores perspectivas desta língua do glaciar. Uma das caminhadas mais populares, com 8 km (ida e volta), sobe 390 metros até à queda de água Svartifoss, conhecida pelas colunas hexagonais em basalto que a enquadram.

Continue depois até Jökulsárlón, onde poderá passar a tarde. A lagoa resulta do degelo do glaciar Breiðamerkurjökull, com acesso directo ao oceano Atlântico. Admire os icebergs com uma cor azul luminosa e passeie junto à praia de areia preta com pedaços de gelo. Uma das actividades imperdíveis é passear num barco anfíbio e ver de perto o imponente glaciar. No café do glaciar, não deixe de provar a sopa de peixe.

Onde Ficar e Comer em Hnappavellir

Regresse pela Ring Road até Hnappavellir (cerca de 30 km), onde poderá passar a noite no Fosshotel Glacier Lagoon, rodeado por uma paisagem deslumbrante de montanhas e oceano. Tratando-se do único edifício existente no local, se quiser comer terá de ser no restaurante do hotel.

Dia 4: Lagoa Azul / Regresso a Keflavik

Ring Road

Distância: 350 km

No último dia, levante-se cedo, já que tem à sua frente um longo caminho (cerca 4h30m). Dependendo do horário do seu voo de regresso (e não o tendo feito no primeiro dia), poderá parar na Lagoa Azul a caminho do aeroporto.