Roménia Medieval, entre Cidades, Lendas e Castelos

Esta é uma viagem singular pela Europa de Leste, onde pode ficar a conhecer o país rodeado pelos montes Cárpatos e que procura paulatinamente sair da obscuridade do passado.

Neste circuito pela Roménia Medieval a história, a cultura, a arquitectura, a arte e a fantasia inspirada em Drácula são os pontos fortes desta viagem.

A viagem tem o seu início na capital romena, Bucareste situada no Sudeste do país nas margens do rio Dâmbovita, afluente do rio Danúbio. Com cerca de dois milhões de habitantes é a maior cidade da Roménia e o principal pólo cultural, industrial e financeiro do país, sendo ainda um dos principais hubs de transportes da Europa de Leste. As primeiras referência da cidade remontam à segunda metade do século XV, sendo que ao longo dos séculos foi ocupada por Otomanos, Russos e Austríacos. Em 1862, Bucareste tornou-se a capital da Roménia.

A cidade apresenta uma arquitectura eclética, sendo possível encontrar edifícios neo-clássicos, de Art Deco, do movimento Bauhaus, de inspiração soviética ou moderna. Tal como a capital húngara, também Budapeste foi conhecida entre as duas Grandes Guerra como a “Paris de Leste” mercê da sua sofisticação, elegância arquitectónica de inspiração francesa e da presença das elites.

Os principais lugares de interesse de Bucareste são: o Palácio do Parlamento construído nos anos 80 pelo ditador Nicolae Ceauşescu que é considerado o segundo maior edifício do mundo e que actualmente também alberga o Museu Nacional de Arte Contemporânea; o Arco do Triunfo inspirado no monumento parisiense com o mesmo nome; a Praça da Revolução: a igreja Stavropoleos datada do século XVIII; o Museu Popular que conta a história e as tradições da arquitectura rural romena com mais de 300 edifícios ao ar livre; e ainda o Museu Zambaccian com inúmeras obras de Picasso, Delacroix, Matisse, Pissarro ou Cézanne.

Circuito Roménia Medieval

Circuito Roménia Medieval

Partindo de Bucareste em direcção à cidade de Sibiu, atravessam-se as montanhas dos Cárpatos do Sul e a magnífica paisagem do vale do rio Olt, na Transilvânia. A cidade situa-se na região centro do país, a cerca de 300 km da capital com uma população aproximada de 150 000 habitantes.

Sibiu foi fundada durante o século XII por colonos de origem alemã que lhe deram o nome inicial de Hermannstadt. Ao longo dos séculos a cidade foi ganhando importância comercial e cultural, sempre sob influência germânica. Durante o século XIX ficou sob a alçada do Império Austro-húngaro até ao final da Primeira Grande Guerra Mundial, altura em que Sibiu passou a fazer parte da Roménia. Em 2007, em conjunto com a cidade do Luxemburgo, foi Capital Europeia da Cultura.

Na passagem por esta cidade a Praça Maior, a passagem das escadas, o Palácio e Museu Brukenthal, o mais importante monumento barroco da Roménia, a Catedral Evangélica e o Teatro Nacional Radu Stanca, são alguns dos lugares a visitar.

O destino seguinte é a cidade-fortaleza de Sighisoara situada nas margens do rio Târnava Mare, também na região centro do país, sendo a principal urbe da Transilvânia. Os principais marcos turísticos da cidade são a Torre do Relógio construída em 1360, a cidadela do século XII considerada com Património da Humanidade pela UNESCO, e a igreja da colina.

A viagem prossegue em direcção a Paso Borgo, cenário do romance “Drácula” (1897) do escritor irlandês Bram Stocker. Daqui segue-se para a cidade histórica de Bucovina, junto à fronteira ucraniana, onde se visita o Museu do Folclore, até Campulung Moldovenesc, onde poderá descobrir o Museu da Madeira. Moldovita é o destino seguinte com visita ao Mosteiro Pintado, Património Mundial da UNESCO seguindo-se depois em direcção a Marginea e a Gura Humurlui, onde ficará a conhecer as principais atracções turísticas destes locais como a olaria da cerâmica negra e monumentos religiosos.

A cidade medieval de Brasov, rodeada pelos montes Cárpatos, é uma das cidades mais visitadas na Transilvânia. Os locais obrigatórios numa visita a esta cidade são o seu centro histórico, no qual se inclui a Praça Sfatului, a pitoresca rua pedonal Republicii e a Igreja Negra, o maior monumento religioso de estilo gótico do país, e ainda o museu da Cidade e a Igreja de São Bartolomeu.

Nota ainda para a visita a Sinaia onde ficará a conhecer o Castelo de Peles construído no final do século XIX que é a residência de Verão da Família Real Romena, e a visita ao Castelo de Bran, onde se supõe que terá vivido Vlad Tepes, a fonte inspiradora da famosa personagem Drácula.