À Descoberta da Irlanda pela Wild Atlantic Way – Itinerário de Viagem

A estrada mais famosa da Irlanda estende-se pela costa ocidental, desde Donegal até Cork, atravessando nove condados e três províncias.

São 2.500 km de uma das mais belas faixas costeiras do mundo, o equivalente à distância entre Lisboa e Paris. É por isso que a maioria dos visitantes opta por percorrer troços ou secções da Wild Atlantic Way.

De norte para sul, as principais áreas e os pontos de interesse da Wild Atlantic Way são:

  • Northern Headlands: Malin Head, Donegal Town
  • Cliff Coast: Clare, Galway, Kerry
  • Surf Coast: Sligo, Mayo
  • Southern Peninsulas: South Kerry, West Cork
  • Bay Coast: Galway Bay
  • Haven Coast: Baltimore, Kinsale

Alugar um carro é a melhor forma de percorrer a Wild Atlantic Way. A estrada é essencialmente rural para ser percorrida sem pressas. Tractores e animais são comuns. Tranquilamente, conte fazer em média cerca de 65 km/h.

Como na Irlanda os carros circulam pela esquerda, é preferível percorrer a Wild Atlantic Way de sul para norte, o que permitirá estar sempre do lado mais próximo do oceano e apreciar as vistas deslumbrantes a cada curva.

Este é um dos itinerários recomendados para descobrir Irlanda pela Wild Atlantic Way, ou partes dela.

1. Início: Cork

Vista de Cork

Cork, no sul da Irlanada, é o local perfeito para dar início ao roteiro pela Wild Atlantic Way. A Aer Lingus disponibiliza voos directos entre Lisboa e Cork. Esta cidade universitária combina história e um ambiente cosmopolita com diversos restaurantes e cafés, para além dos tradicionais pubs onde poderá provar a famosa Guinness.

Cork é uma cidade compacta cujas principais atracções incluem os músicos e artistas na St Patrick’s Street, a principal rua comercial da cidade, o Mercado Inglês (English Market), um verdadeiro paraíso gastronómico, a Catedral de São Finbarr, a Universidade de Cork, o Gaol, uma impressionante prisão do século XIX transformada em museu, e o Castelo de Blarney.

Aproveite para desfrutar da comida, bebida e cultura antes de partir à descoberta da Wild Atlantic Way.

Onde Ficar em Cork

Existe uma oferta diversificada no hotéis centro de Cork. Deixamos algumas sugestões:

The River Lee Hotel (4*): conforto e luxo nas margens do rio Lee.
Maldron Hotel Shandon Cork (4*): quartos espaçosos e modernos no centro de Cork.
Hotel Isaacs Cork (3*): hotel boutique a 5 minutos das principais atracções da cidade.

Secção 1: Slea Head Drive

Paisagem da Península de Dingle

De Cork, siga até à Península de Dingle. Esta é uma das partes mais tradicionais da Wild Atlantic Way, com diversos locais históricos e aldeias onde a língua irlandesa é falada por muitos dos habitantes locais. Terá ainda a oportunidade de conhecer as ilhas Blasket, nem que seja ao longe.

A Slea Head Drive é uma estrada circular que totaliza 47 km de extensão, com início e fim em Dingle. Permite conhecer as inúmeras atracções da península. Os visitantes são aconselhados a viajar no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio de modo a evitar as excursões de autocarros de turismo muito frequentes durante o Verão. Uma parte da estrada é estreita e tem apenas um sentido.

Caso tenha interesse na herança gaélica, não deixe de visitar o Blasket Centre, um centro de visitantes que retrata as condições de vida nas Blasket, seis remotas ilhas cujos últimos habitantes foram evacuados em 1953 pelo governo irlandês devido às condições meteorológicas adversas. Entre Abril e Setembro, é possível apanhar o ferry até à Great Blasket Island na marina de Dunquin.

Reserve no mínimo meio dia para percorrer a Slea Head Drive.

Onde Ficar em Dingle

Os B&Bs (bed and breakfasts) abundam em Dingle e permitem um contacto próximo com a população local. The Waterfront é um dos mais conhecidos – trata-se de uma casa de hóspedes com vista para o porto. The Quayside B&B é outra opção económica em Dingle.

Se preferir ficar num hotel, as melhores opções são o Dingle Benners Hotel no centro e o Dingle Peninsula Hotel, a 7 minutos de Dingle e com vistas sobre a baía.

Secção 2: Falésias de Moher (Cliffs of Moher)

Visita às Falésias de Moher

Falésias de Moher na costa da Irlanda

As imponentes falésias de Moher estendem-se 8 km ao longo do oceano Atlântico, mas parecem não ter fim. Com 214 metros de altura nalguns locais, a visita é a pé pelos trilhos da falésia depois de deixar o carro num grande estacionamento junto do centro de visitantes.

A caminhada pelas falésias é recompensada com vistas deslumbrantes, especialmente em dias de céu limpo quando é possível avistar de ilhas de Aran na baía de Galway. Não deixe de subir até à torre de O’Brien, construída em 1835 para desfrute dos turistas ingleses que já nessa altura frequentavam o local.

Secção 3: Galway

Catedral de Galway

Galway fica a meio caminho da Wild Atlantic Way. É a única cidade que oficialmente faz parte da estrada. Neste destino, a praça Eyre e a Quay Street são zonas animadas com lojas e restaurantes. Não deixe de provar as ostras, uma especialidade local. Muitos dos pubs da cidade oferecem espectáculos de música tradicional.

Se escolher o final de Julho e início de Agosto para visitar Galway, poderá assistir às Galway Races (corridas de cavalo) ou ao Festival Internacional de Artes.

Galway é também conhecida pelas suas praias. A mais próxima é Salthill, a poucos minutos do centro pelo passeio de Claddagh. Um pouco mais distantes, Dog’s Bay / Gurteen Bay e Renvyle Beach são consideradas por muitos as mais belas praias da costa ocidental da Irlanda.

Onde Ficar em Galway

Dentro da oferta diversificada de hotéis em Galway, destacamos:

The G Hotel (5*): localizado junto da Baía de Galway.
The Glenlo Abbey Hotel (5*): numa propriedade junto a um campo de golfe, é o local ideal para descansar da viagem.
The Huntsman Inn (4*): pequeno hotel boutique com quartos modernos e restaurante.

Secção 4: Ilha de Achill

Vista de Keem Bay

A costa sul da ilha de Achill constitui um dos troços mais belos da Wild Atlantic Way. Ligada por uma ponte, basta deixar-se levar pela estrada para descobrir lugares únicos, com vistas deslumbrantes em cada curva.

A Keem Bay é um dos pontos a não perder. Não obstante o clima, a paisagem desta praia de areia branca nada fica a dever à de muitos destinos tropicais e paradisíacos.

Secção 5: Sligo

Benbulben, Sligo

O condado de Sligo é a principal atracção da Surf Coast, e é uma região que oferece um pouco de tudo.

Se é amante de surf, não perca Mullaghmore Head, uma pequena aldeia piscatória com uma magnífica praia de areia rodeada de falésias e um porto construído em pedra. Mas Sligo é também conhecido pelo seu roteiro gastronómico cujos ingredientes têm origem na paisagem de campos verdejantes, montanhas e quintas ao longo do oceano Atlântico.

Os amantes de poesia, têm a oportunidade de visitar em Drumcliffe a última morada do poeta W.B. Yeats. Quem gosta de caminhadas, também aqui encontra com que se entreter – um passeio em torno da Benbulben, uma impressionante formação rochosa com 320 milhões de anos.

Fim: Malin Head

Malin Head

Termine a viagem em Malin Head, o extremo setentrional da Irlanda. Este local histórico com uma paisagem dramática foi escolhido para filmagens do filme “Os Últimos Jedi” da saga Star Wars. Em Malin Head, o contacto com a natureza é total. A observação de aves é uma das actividades mais populares, assim como as caminhadas.

O promontório Banba’s Crown e o edifício conhecido como “The Tower” oferecem vistas deslumbrantes, enquanto Malin Beach na proximidade é a praia ideal para um passeio.

Não perca ainda a Five Finger Strand, uma praia aninhada entre dunas, que nalguns pontos atingem 30 metros de altura. A caverna de Hell’s Hole é outro dos locais em destaque, conhecido pela impressionante força da corrente. Finalmente, faça uma caça ao tesouro em Ballyhillion Beach, uma praia conhecida pelas suas pedras semi-preciosas.