À Descoberta do Parque Natural de Montesinho

Com 75 mil hectares, o Parque Natural de Montesinho, localizado no nordeste transmontano, é um dos maiores parques de Portugal.

As principais atrações são a paisagem natural e o património histórico-cultural, com destaque para as aldeias transmontanas onde se conservam usos e costumes ancestrais.

Se está a planear uma visita ao Parque Natural de Montesinho, encontra aqui informações sobre o que ver e fazer, como visitar, os melhores percursos, onde ficar e onde comer.

O Que Ver e Fazer

O Parque Natural de Montesinho está integrado na Rota da Terra Fria, um itinerário com cerca de 450 km, que atravessa os municípios de Bragança, Miranda do Douro, Mogadouro, Vimioso e Vinhais.

Destacamos os diversos percursos de automóvel e pedestres, com visitas às aldeias típicas como França, Montesinho e Rio de Onor. Esta última tem a particularidade de ser atravessada pela fronteira entre Portugal e Espanha.

Sendo Bragança o ponto de partida, aproveite para visitar o centro histórico desta cidade. Percorra a Rua Abílio Beça, conhecida como a rua dos museus, suba à cidadela onde vai encontrar o castelo e a Torre de Menagem (agora Museu Militar), várias esplanadas e o Museu Ibérico da Máscara e do Traje, onde pode apreciar os típico fatos de Carnaval e as máscaras das Festas dos Rapazes.

Como Visitar

O Parque Natural de Montesinho localiza-se a 230 km do Porto (cerca de 2h30 de viagem) e 500 km de Lisboa (5h de viagem aproximadamente). O carro é essencial para visitar esta região.

Rota da Lombada no Parque Natural de Montesinho

O Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) disponibiliza um conjunto de percursos interessantes para descobrir o Parque Natural de Montesinho. Destacamos a Rota da Lombada que inclui a observação de veados e visita às aldeias comunitárias de Trás-os-Montes.

Duração: 100 km (um dia)

1. Alta Lombada

Partindo de Bragança, siga para Gimonde pela N218 e apanhe a N308 para Vila Meã. Entre entre Vila Meã e Deilão, desfrute das paisagens do planalto da Alta Lombada, sendo quase certo que observará veados em qualquer altura do ano. No entanto, a melhor época para observar estes animais, e em particular o seu ritual de acasalamento conhecido brama dos veados, é em finais de Setembro e no mês de Outubro.

2. Guadramil

Siga depois para Guadramil, uma aldeia fronteiriça com casas típicas bem conservadas. Daqui parte o percurso pedestre circular “PR12 – Guadramil” com cerca de 8 km de extensão (3 horas).

3. Rio de Onor

De Guadramil, siga para Rio de Onor, na antiga fronteira com Espanha. Esta foi uma das principais aldeias comunitárias onde se partilhavam fornos de cozer pão, terrenos e trabalhos agrícolas.

4. Varge

A paragem seguinte é Varge, uma aldeia bucólica onde todos os anos entre 25 e 26 de Dezembro se celebra a tradicional Festa dos Rapazes ou Caretos, na qual rapazes solteiros saem à rua mascarados como parte do rito iniciático de puberdade.

5. França

Continue depois até à aldeia de França, outrora conhecida pelas suas minas de ouro. Do topo da aldeia, desfrute das vistas para o vale do rio Sabor. No centro hípico, pode admirar os cavalos de raça Lusitana e Pruzado Português e ainda alugar bicicletas.

6. Montesinho

Siga para Montesinho, uma aldeia tipicamente transmontana a 1100 metros de altitude, onde pode observar as casas em granito e visitar a loja de um artesão. Daqui parte o percurso pedestre circular “PR3 – Porto Furado” com cerca de 8 km de extensão (3 horas). Regresse a Bragança.

Quando Ir

Trás-os-Montes é uma terra de extremos. Diz o ditado popular que nas entranhas transmontanas são “nove meses de Inverno e três de Inferno”. De facto, as temperaturas nesta estação (Dezembro e Janeiro) rondam os 5ºC, e no Verão a temperatura máxima pode chegar aos 40ºC (Julho e Agosto). Nos meses de Primavera e Outono, as temperaturas são mais aprazíveis para visitar a região e realizar atividades ao ar livre.

Onde Ficar

Bragança concentra a maioria do alojamento nesta região, sendo o ponto de partida da maioria das rotas no Parque Natural de Montesinho.

  • Pousada de Bragança – São Bartolomeu: oferece vistas panorâmicas da cidade e do Castelo de Bragança e dispõe de piscina exterior.
  • Hotel São Lázaro: opção mais económica que também oferece vistas para o castelo a partir do restaurante.
  • Candeias do Souto: alojamento de turismo rural em pleno Parque Natural de Montesinho, a 9 km de Bragança. Dispõe de bicicletas para utilização gratuita.
  • Cepo Verde: dispõe de alojamento para turismo de natureza, incluindo campismo e caravanismo e bungalows.

Onde Comer

A gastronomia da região de Trás-os-Montes tem como base a carne, incluindo de caça, os enchidos, como a alheira e a morcela, a castanha, e as infinitas variedades de cogumelos. Poderá provar os pratos típicos nos restaurantes da região. Deixamos algumas sugestões:

  • Solar Bragançano. Praca de Sé, 34, Bragança: Considerado um dos melhores restaurantes de Bragança, o menu do Solar Bragançano inclui naco à Mirandesa, salada de perdiz, javali estufado, arroz de lebre, trutas e bacalhau, entre outros pratos típicos.
  • O Poças. Rua Combatentes da Grande Guerra, 200, Bragança: Serve comida caseira a preços acessíveis. Prove o porco bísaro, prato típico da região.
  • O Abel, Rua do Sabor, Gimonde: É especializado em carne, com destaque para a posta e costeleta.

Saber Mais

Para saber mais sobre o Parque Natural de Montesinho, consulte o site do ICNF.