Guia de Viagem: O Que Visitar em Sevilha

1

Situada nas margens do rio Guadalquivir, Sevilha combina história, arquitetura e gastronomia típica.

O nosso guia de viagem para Sevilha não tem a ambição de desvendar os inúmeros segredos da capital da Andaluzia, mas somente fornecer algumas dicas para um itinerário à descoberta desta cidade espanhola.

O Que Visitar

A Catedral de Sevilha é a maior catedral de Espanha, e uma das maiores do mundo. A catedral ocupa o local onde outrora se erguia a Grande Mesquita, da qual se conservam hoje o minarete, conhecido como a Giralda, o Pátio das Laranjeiras (que correspondia ao pátio para abluções) e a Porta do Perdão.

A mesquita foi convertida em templo cristão quando Fernando III de Castela reconquistou a cidade em 1248. A construção da nova catedral data dos séculos XV e XVI, e revela traços dos períodos mouro, gótico, renascentista, barroco e neoclássico. A Catedral de Sevilha, o Alcázar e o Arquivo das Índias foram declarados, em 1987, Património Mundial da Humanidade pela UNESCO. É aqui que Cristóvão Colombo se encontra sepultado. Entrada: 8€ (inclui a visita à Catedral e à Giralda).

Giralda - Sevilha

Giralda – Sevilha

A Giralda ocupa o local do antigo minarete da Grande Mesquita, convertido em campanário da Catedral de Sevilha. Sobre o antigo minarete (que corresponde aos dois terços inferiores da torre), foi sobreposta uma construção para albergar os campanários da Catedral. No topo, a Giralda foi coroada com o cata-vento conhecido como “El Giraldillo”, que representa a vitória da fé cristã. Do cimo das 34 rampas, tem-se uma vista sobre toda a cidade de Sevilha.

O Real Alcázar é um palácio em estilo mourisco. No século XIV, Pedro I, o Cruel, mandou reconstruir o antigo Alcázar mouro, transformando-o na residência da família real. O interior do edíficio é organizado em torno de dois pátios: o Pátio das Doncellas, onde se realizavam as cerimónias oficiais, e o Pátio das Muñecas destinado à vida privada. O Salão dos Embaixadores é famoso pela sua cúpula adornada de arabescos dourados. O Real Alcázar foi também declarado Património Mundial da Humanidade pela UNESCO, em 1987. Entrada: 9,5€.

O Bairro Judeu ou Judearia (hoje integrado no Barrio Santa Cruz) localiza-se em torno da Catedral. Corresponde ao local onde Fernando III de Castelha concentrou os judeus, após a reconquista da cidade aos mouros e antes do Édito de Alhambra expulsar os judeus de Espanha em 1492, na época dos Reis Católicos. As ruelas e edifícios antigos do Bairro Judeu formam hoje um dos locais mais turísticos de Sevilha.

Plaza de Espanha - Sevilha

Plaza de Espanha – Sevilha

A Plaza de España corresponde ao local onde foi construído o principal conjunto arquitetónico da Exposição Ibero-Americana de Sevilha de 1929. Trata-se de uma obra imponente em estilo mourisco. A praça em forma semi-elíptica simboliza o abraço de Espanha e das ex-colónias. É percorrida por um canal, atravessado por pontes; os jardins são decorados por fontes, bancos e paredes cobertos de azulejos.

A Torre del Oro é uma construção com 36 metros de altura, localizada na margem esquerda do rio Guadalquivir. A torre é formada por três corpos: o primeiro, dodecagonal, foi mandado erguer durante o Califado Almóada, no século XIII, para defesa do Alcázar; o segundo com a mesma forma foi mandado construir por Pedro I, o Cruel, no século XIV; o corpo superior, cilíndrico e rematado pela cúpula, foi construído no século XVIII. A torre alberga atualmente o Museu Naval de Sevilha. Entrada: 3€.

Como Ir

O carro é a melhor opção, já que permite visitar a cidade, mas também a região da Andaluzia, com destaque para outros pontos de interesse como Granada, Córdoba e Málaga.

Se preferir o avião, a TAP tem voos diretos operados pela Portugália entre Lisboa e Sevilha. Dada a curta distância, pode dizer-se que as tarifas são relativamente elevadas (cerca de 180€, ida e volta). Consulte a nossa página de reservas de voos. Se escolher esta opção, tem sempre a possibilidade alugar um automóvel e, desta forma, visitar a região da Andaluzia.

Onde Ficar

A cidade de Sevilha é um principais destinos turísticos de Espanha. Durante a época alta, ou seja, nos meses de verão, é aconselhável reservar o hotel com antecedência. Fora desta época, como há menos procura, os preços do alojamento tendem a ser mais baratos.

Para consultar as melhores ofertas de alojamento em Sevilha, visite a nossa página de pesquisa de hotéis.

Onde Comer

A cozinha tradicional andaluza inclui peixe fresco e marisco (pescada, bacalhau, camarões e anchovas), chorizo, salmorejo (sopa de tomate, alho, migas de pão, azeite, vinagre e sal), gaspacho, azeitonas, lentilhas, grão e jamón ibérico. Esta lista não está obviamente completa sem as famosas tapas.

Não faltam em Sevilha locais que servem tapas. Entre os restaurantes que tivemos a oportunidade de experimentar, destacamos o Dos de Mayo (Plaza de la Gavidia, 6) por servir boa comida num ambiente típico. Aqui, não existem empregados de mesa, o cliente faz o pedido no balcão e o empregado chama quando a comida está pronta. Cada tapa custa cerca de 2-3€. Algumas das especialidades da casa são espinacas con garbanzos (espinafres com grão), berenjenas fritas con miel (beringelas fritas com mel), jamón ibérico de bellota (presunto ibérico), pan con boquerones (pão com anchovas), e bacalao con salsa de tomate (bacalhau com molho de tomate). Para acompanhar, a melhor opção é sem dúvida a caña.

Planear viagem a Sevilha
Quando Ir
Onde Ficar
Como Chegar
Partilhar.