Visita à Jordânia: Na Rota da Arqueologia

A Jordânia encontra-se associada a lendas românticas, cidades perdidas, episódios bíblicos e filmes eternos que passam pelo épico de Lawrence da Arábia, protagonizado por Peter O’Toole, até à saga Indiana Jones e a Grande Cruzada.

A Jordânia é um dos países mais acolhedores e estáveis do Médio Oriente, com cenários únicos, desde a cidade antiga de Petra até à paisagem desértica de Wadi Rum.

O país faz fronteira a norte com a Síria, a noroeste com o Iraque, a este e sul com a Arábia Saudita, e a oeste com Israel. Encontra-se dividido em três áreas geográficas distintas: o vale fértil do Jordão, as regiões dos planaltos onde se situam a maioria das cidades, e a parte oriental onde domina o deserto.

Um Pouco de História

Cidadela em Amã

No passado, esta região foi habitada por amonitas, amorreus, moabitas e edomitas e nabateus, com o domínio dos nabateus a partir do século VII a.C. Ao longo dos séculos, o território foi invadido por egípcios, assírios, persas, gregos, romanos, árabes muçulmanos, cruzados cristãos e turcos otomanos. Esta miscelânea de culturas trouxe à Jordânia uma singularidade que se traduz nos seus costumes, cultura e modos de vida.

A Jordânia fez parte do Império Turco até 1918, quando as fronteiras do país foram demarcadas como parte do acordo sobre a Palestina. O país ficou sob controlo britânico até 1946, quando se tornou um estado independente, chamado Reino Hachemita da Transjordânia, governado pelo rei Abdulah.

O Que Ver na Jordânia

Cidade histórica de Petra

Amã
A capital jordana, Amã, é uma mistura de tráfego caótico e ordenamento do território inexistente. Apesar disso, é uma cidade que merece uma visita atenta. Tem cerca de 5000 anos e possui um grande legado de ruínas romanas, incluídas no seu centro histórico, com principal destaque para o teatro romano construído no século II com capacidade para 6000 pessoas.

A este localiza-se o Odeón erigido, na mesma época, e utilizado para manifestações musicais. Destaca-se ainda a fonte de Nymphaeum e as ruínas romanas na parte norte da cidade. Para além das ruínas romanas, o viajante pode ainda apreciar a arquitectura bizantina e muçulmana como o Museu Arqueológico Nacional.

Madaba
A cerca de 30 km de Amã, pode encontrar a cidade de Madaba mencionada na Bíblia e conhecida pelos seus mosaicos da época bizantina, dos quais se destaca o mapa de Madaba do século VI formado por milhões de peças. Actualmente, a cidade é um parque arqueológico cuidadosamente restaurado que inclui igrejas do século VII e o templo de Hipólito.

Jerash
A 50 km da capital encontra-se Jerash, uma cidade romana plenamente conservada. A cidade alcançou o seu esplendor no princípio do século III com influências cristãs e muçulmanas. Calcula-se que apenas 10 por cento da cidade esteja ainda descoberta. Os principais pontos de interesse são o Arco do Triunfo, a muralha urbana onde se pode admirar o Templo de Zeus, o Fórum, o Teatro do Sul e o templo de Artemisa.

Petra
A 260 km de Amã, encontra-se o maior tesouro arqueológico da Jordânia, capital dos nabateus, um povo árabe nómada do século II a.C. A construção da cidade, inteiramente talhada na pedra, durou aproximadamente 4 séculos. A cidade ficou abandonada e perdida durante cerca de 800 anos, até ser redescoberta pelo explorador suíço Jacob Burckhardt. Crê-se que Petra não era uma cidade, mas um lugar de peregrinações religiosas, onde a maioria das construções serviam como tumbas e templos.

Para explorar e apreciar a atmosfera especial de Petra é aconselhável passar pelo menos três dias na cidade. Construída numa estrutura geológica profunda, é apenas acessível através de um estreito serpenteante cavado na rocha. Petra encontra-se esculpida num arenito rosado, onde se podem encontrar cerca de 800 monumentos. As ruínas mais famosas são Khazneh (a câmara do tesouro), o mosteiro com vistas deslumbrantes, o anfiteatro e o Templo dos Leões Alados. Em 1985, Petra foi declarada Património da Humanidade pela UNESCO.

Quando Visitar

A melhor época para visitar a Jordânia é na Primavera e no Outono quando as temperaturas são mais amenas (entre 24ºC e 26ºC) e a precipitação é diminuta. O Verão é quente e seco com as temperaturas a atingirem facilmente os 36ºC.

Como Ir

A companhia alemã Lufthansa voa de Lisboa para Aman, com escala em Frankfurt, a partir de 841 euros. A duração da viagem é de 10 horas.

A melhor opção é adquirir um pacote de viagem num operador turístico. A agência Abreu oferece o circuito “Jordânia Mágica” com visita Aman, Jerash, Ajloun, Mt. Nebo, Madaba, Kerak, Petra, Wadi Rum e Aqaba durante 10 dias a partir de 1930 euros por pessoa.

Formalidades

É necessário passaporte com uma validade superior a 6 meses. O visto turístico é tratado à chegada, e tem um custo de 40 dinares (aproximadamente 50 euros) para uma entrada e estadia até um mês. É possível trocar ou levantar dinheiro antes do guichet da imigração.