O Melhor de Banguecoque: 10 Principais Atrações

0

Colorida, caótica e com muita gente, moderna e repleta de templos antigos, Banguecoque é assim.

A capital tailandesa representa a tensão entre os mundos desenvolvidos e em desenvolvimento.

Mesmo sendo ponto de passagem para outros destinos, como Phuket, ou de partida para visitar os tesouros do país, como Ayutthaya, a antiga capital da Tailândia, Banguecoque merece uma visita a 10 das suas principais atrações.

1.Grande Palácio de Banguecoque

A atração mais importante de Banguecoque é o conjunto palaciano construído em 1782, e que serviu de residência oficial do rei da Tailândia durante 150 anos. Ainda hoje é utilizado nas cerimónias oficiais e para receber chefes de Estado em visita à Tailândia.

O complexo inclui vários edifícios impressionantes, como o Wat Phra Kaeo (ou Templo do Buda de Jade), considerado o templo budista mais importante da Tailândia.

Para entrar no Grande Palácio, é necessário vestir roupa que cubra os braços e as pernas (calças compridas e t-shirt, sem manga cava). Para os mais esquecidos, são emprestadas vestes à entrada.

Horário: 8h30-15h30
Entrada: 500 baht

Palácio de Banguecoque

Exterior do Grande Palácio de Banguecoque

2. Wat Pho

A poucos minutos a pé do Grande Palácio, a sul do complexo, fica localizado o templo de Wat Pho, o mais antigo templo de Banguecoque, mandado construir pelo rei Rama I. Tido como um local de cura, ficou conhecido pela farmácia e pela primeira “universidade” de massagem tailandesa tradicional, criadas durante o reinado de Rama III. Os preços das massagens aqui praticados são significativos mais elevados do que noutros locais da cidade.

O Wat Pho é também conhecido por Templo do Buda Estendido. Não sendo possível uma visão da estátua de corpo inteiro, já que mede cerca de 45 metros de comprimento por 15 metros de altura, é possível apreciar por secções: as solas dos pés, com incrustações de pedras preciosas, ou os longos lóbulos de orelha, que simbolizam nascimento nobre, ou ainda a forma da mão a lembrar o botão da flor lótus.

Horário: 8h30-18h00
Entrada: 100 baht

Templo de Wat Pho

Templo do Buda Estendido

3. Wat Arun

O Templo da Aurora (ou do Amanhecer), como também o conhecido Wat Arun, é uma representação do Monte Meru, o centro do universo na cosmologia budista. Os seus cerca de 86 metros de altura oferecem uma vista inesquecível sobre o rio Chao Praya, em especial durante o pôr-do-sol.

Horário: 8h30-17h30
Entrada: 20 baht

4. Wat Traimit

A descoberta do Templo do Buda Dourado é fruto do acaso. Quando, nos anos 50, a East Asiatic Company comprou os terrenos em torno do templo, impôs como condição a remoção de uma estátua do Buda feita de gesso. No entanto, a estátua revelou-se demasiado pesada para ser removida por cabos, e quando um deles se partiu, os trabalhadores fugiram por considerarem um mau presságio, e a estátua caída foi deixada no local durante a noite. Na manhã seguinte, um brilho sob o revestimento de gesso, chamou a atenção de monges que passavam. O revestimento de gesso, após removido, revelou um Buda com 3,5 metros de altura e 5,5 toneladas de ouro maciço.

Ainda hoje não há certezas quanto à origem da estátua, mas supõe-se que data do período Sukhothai quando os invasores birmaneses ameaçaram o país e as suas riquezas, tornando prática comum a ocultação das riquezas com recurso a gesso. Também ninguém sabe como é que estátua foi levada para Banguecoque, mas ali está ela para ser apreciada por todos.

Horário: 9h00-17h00
Entrada: Gratuita (a visita ao museu custa 10 baht)

Wat Traimit - Buda em Ouro

Templo do Buda Dourado

5. Wat Suthat

O Wat Suthat é o mais antigo e belo dos templos budistas de Banguecoque. A sua construção atravessou três reinados: começou com Rama I em 1782, foi continuada por Rama II (1809-24) e apenas terminou durante a vigência de Rama III (1824-51). O templo é menos turístico do que outros templos em Banguecoque, mas nem por isso a sua arquitetura é menos atrativa ou os seus murais menos interessantes.

Horários: 8h30-21h00
Entrada: 20 baht

Video de Banguecoque – A Cidade em Movimento

6. Baloiço Gigante

Mesmo em frente ao templo Wat Suthat, no centro da movimentada praça, encontra-se uma estrutura religiosa conhecida como Baloiço Gigante. Com 27 metros de altura, esta estrutura, feita em teca lacada vermelha, era o centro da cerimónia religiosa celebrada todos os anos em dezembro, após a colheita do arroz. Durante a cerimónia, homens baloiçavam à vez em direção ao céu com o objetivo de tentar agarrar com os dentes um saco de moedas. Após vários acidentes fatais, o rei Rama VII proibiu a competição em 1932.

7. Mercado Chatuchak

Este mercado de Banguecoque figura como o maior do mundo, como mais de 15.000 bancas. Aqui se vende de tudo, desde joalharia e ícones religiosos, passando por animais e comida de rua. O mercado é um dos melhores locais para conhecer a verdadeira Banguecoque. Convém chegar cedo, e planear passar algumas horas no local.

8. Mercado Flutuante de Damnoen Saduak

Uma experiência mais original é a que o mercado flutuante de Damnoen Saduak oferece aos seus visitantes. Localizado em Ratchaburi (a cerca de uma hora e meia de Banguecoque), o mercado tornou-se nos últimos anos um chamariz de turistas. Ainda assim, os seus visitantes podem comprar produtos frescos e interagir com os habitantes locais.

Mercado Flutuante de Damnoen Saduak

Vendedora de frutas e legumes no Mercado Flutuante

9. Khao San Road

Localizada num bairro central, repleto de pensões, comida de rua e armazéns de roupa, Khao San Road é a meca do turismo mochileiro, visitada por viajantes provenientes de todo o mundo. A multidão e a música aos altos berros podem ser ao mesmo tempo atrativas e exasperantes, mas é um óptimo local para fazer compras e provar comida indiana num dos muitos restaurantes que lá se encontram.

10. Parque Lumpini

No meio do trânsito e confusão de Banguecoque, o parque Lumpini é um oásis verde que permite fugir à azáfama da cidade. O contraste entre a tranquilidade do parque e o barulho e arranha-céus em volta não podia ser maior. O parque tem um pagode chinês e um lago artificial onde se pode alugar uma variedade de barcos. Foi recentemente palco dos protestos anti-governamentais que ocorreram em Banguecoque.

Horário: 5h00-21h00
Entrada: Gratuita

Dicas e Conselhos de Viagem

Regatear os preços. Este conselho aplica-se não apenas aos artigos comprados na rua, mas também, e sobretudo, aos taxistas. É prudente combinar o preço à partida, ou exigir a utilização do parquímetro.

Utilizar os transportes públicos. Com o trânsito infernal de Banguecoque, as viagens de táxi não ficam baratas. Banguecoque tem um bom sistema de transporte de públicos, que deve ser aproveitado. Enquanto que o problema do trânsito afeta também os autocarros, os comboios, tanto o metro como o comboio de superfície, são a melhor opção para circular na cidade.

Evitar os esquemas (“burlas”). Para além de ter atenção aos taxistas, em Banguecoque deve suspeitar de condutores/“guias” que, no caminho para o destino acordado, começam a parar em lojas, normalmente joalharias. Estes supostos guias recebem comissões por levarem turistas a lojas, que frequentemente não têm qualquer interesse. Exigir que o condutor o leve de volta ao ponto de partida normalmente resulta. Se não resultar, pode sempre apanhar outro táxi.

Planear Viagem a Banguecoque
Quando Ir
Como Chegar
Onde Ficar
Partilhar.