O Que Ver e Fazer na Bolívia – 7 Melhores Atrações

Localizada no coração da América do Sul, a Bolívia é um país que oferece uma combinação de atrações, desde paisagens surreais a cidades cosmopolitas e animados mercados de rua, sem esquecer as experiências únicas que este destino de aventura proporciona.

Na Bolívia, o difícil é a escolha das melhores atrações, aquelas que são simplesmente imperdíveis numa visita a este país sul americano.

Salar de Uyuni

Salar de Uyuni

Localizada nos Andes bolivianos, Salar de Uyuni é a maior planície salgada do mundo com 10.582 km², situando-se a cerca de 3.600 metros de altitude. Nesta paisagem desértica e seca, o branco é a cor dominante, não existindo praticamente vida selvagem ou vegetação. Os cactos gigantes dominam as ilhas do Pescado e Incahuasi, duas das 33 ilhas de Salar de Uyuni. Todos os anos em Novembro (início do Verão na Bolívia), três espécies de flamingos cor-de-rosa, o flamingo-chileno, o flamingo-andino, e o flamingo-de-james, escolhem Uyuni como local de procriação.

Lago Titicaca

Isla del Sol no Lago Tititaca

Localizado nos Andes, na fronteira entre a Bolívia e o Peru, o lago Titicaca é considerado o maior lago em volume de água da América Latina. O que torna o Titicaca interessante são algumas das suas ilhas. Do lado boliviano, destacam-se a ilha do Sol, sagrada para os Incas, que é a maior, mais populosa e popular graças às magníficas paisagens do lago e aos percursos para caminhadas. A vizinha ilha da Lua é mais pequena mas merece uma breve paragem para visitar o Templo das Virgens do Sol onde as raparigas incas aprendiam diversos ofícios. Reza a lenda que algumas eram também escolhidas para sacrifícios.

Tiwanaku

Ruínas de Tiwanaku

Próximo das margens sul do lago Titicaca, e a cerca de 72 km de La Paz, a cidade de Tiwanaku, capital do império pré-hispânico, integra a lista de Património Mundial da UNESCO, e é um dos enigmas arqueológicos da Bolívia. Quando, como e por quem foi construída uma das mais antigas cidades do mundo, situada a 3.850 metros de altitude. A maior parte da cidade antiga, construída em adobe, foi sobreposta pela cidade moderna. No entanto, permanecem intactos os monumentos do centro espiritual em zonas arqueológicas protegidas.

La Paz

Vista aérea de La Paz

Localizada a 3.660 metros de altitude, La Paz é a sede do governo da Bolívia, tendo sido fundada em 1548 pelos conquistadores espanhóis. A dois passos da capital do império de Tiahuanaco, que é uma visita obrigatória, La Paz é uma cidade que não pára de crescer pelas colinas de El Alto. O centro de La Paz é marcado pela arquitectura colonial, possuindo diversos pontos de interesse como a Praça Murillo, onde pode encontrar os principais edifícios governamentais e a catedral, a Calle Sagarnaga, próxima da Praça de São Francisco, o museu Costumbrista com magníficas peças em cerâmica tradicionais, o museu de São Francisco, e ainda o famoso museu da Coca.

Os mercados de rua são uma marca de La Paz. Destacam-se o mercado de Hechicería, que revela todo um mundo mágico de ervas e remédios medicinais, e o mercado Negro, que ocupa diversas ruas onde se vende um pouco de tudo, desde artigos para a casa a vestuário. Para uma panorâmica da cidade, não perca uma viagem no Mi Teleferico que liga La Paz à vizinha El Alto (escolha a linha vermelha).

Potosí

Cerro Rico em Potosí

Auto-denominada “cidade mais alta do mundo”, Potosí situa-se a 4.090 metros de altitude. Fundada em 1546, esteve desde sempre ligada à actividade mineira, sendo o principal fornecedor de prata do império espanhol. Neste local, que integra a lista de Património Mundial da UNESCO, pode visitar as minas de Cerro Rico e explorar a cidade com a sua arquitectura colonial característica, com destaque para a Casa de la Moneda e a igreja de São Loureço, e os barrios mitayos onde os trabalhadores das minas viviam.

Santa Cruz

Preguiça no jardim zoológico de Santa Cruz de la Sierra

A Bolívia é um país repleto de locais de interesse, mas a cidade de Santa Cruz de la Sierra, localizada no centro do país, possui características especiais. A cidade situada a apenas 416 metros de altitude tem um clima tropical, que influencia o modo de estar descontraído da população local, e a gastronomia – Santa Cruz é famosa pelos seus restaurantes e pela vida nocturna. No centro histórico de Santa Cruz, os destaques são a catedral com a sua torre do relógio que oferece vistas panorâmicas da cidade, a praça central Plaza 24 de Septiembre, diversos parques como o El Arenal e o Jardim Botânico.

A cidade é também a porta de entrada para alguns dos melhores parques da Bolívia, como o Parque Nacional de Amboró, com magníficas cascatas, o Parque Nacional de Kaa Iya, conhecido por um dos melhores locais para observar jaguares, e o deserto de Lomas de Arena onde os bichos-preguiça são as estrelas.

Sucre

Centro histórico de Sucre

Sucre é a capital constitucional da Bolívia. Esta cidade, com cerca de 250.000 habitantes, situa-se na região sul do país a cerca de 2.800 metros de altitude. A cidade tem um perfil distinto e organizado, sendo uma das cidades com menor índice de criminalidade da América do Sul. O centro histórico integra a lista de Património Mundial da UNESCO. Os principais motivos de interesse são as diversas igrejas coloniais, como as igrejas de São Lázaro e de São Francisco e São Domingo, os típicos edifícios de cor branca, como a Câmara Municipal na Praça 25 de Maio, a Casa de la Libertad, o museo Textil Etnografico ASUR, o Parque Bolívar e as pegadas de dinossauro Cal Orkco com cerca de 60 milhões de anos.