O Que Ver e Fazer em Nápoles – 7 Melhores Atrações

Com uma longa história e um dos maiores centros históricos do mundo, classificado como Património Mundial pela UNESCO, Nápoles é uma das jóias escondidas de Itália.

Ao contrário de Roma, Florença e Veneza, a cidade não foi inundada por turistas, o que lhe permitiu conservar a autenticidade e identidade cultural.

É verdade que Nápoles tem má reputação, ligada à máfia, à crise do lixo (hoje ultrapassada) e à pobreza, o que provavelmente explica por que se mantém fora dos circuitos turísticos. Mas em Nápoles há que olhar para além das opiniões formadas e descobrir a Itália autêntica a apenas duas horas de Roma.

Conheça algumas das melhores atrações em Nápoles, uma cidade colorida, vibrante, por vezes caótica, repleta de tesouros históricos, onde terá a oportunidade de provar la vera pizza napoletana.

1. Spaccanapoli

Spaccanapoli

Spaccanapoli é uma rua longa e estreita no centro histórico de Nápoles, que existe desde o período greco-romano e divide a cidade em duas. Oficialmente chamada Via Benedetto Croce, a rua começa na Piazza Gesù Nuovo e oferece ao longo de dois quilómetros uma mistura de igrejas, praças, esplanadas e pequenas lojas de bairro.

Detenha-se na igreja de Sant’Angelo a Nilo e visite o túmulo do cardeal Rainaldo Brancacci da autoria de Donatello e Michelozzo. Na Piazzetta del Nilo, aprecie a estátua de mármore dedicada ao rio Nilo. Pelo caminho, não deixe de provar o sfogliatelle, um folhado com creme, típico de Nápoles, numa das pastelarias locais – a Scaturchio (Piazza San Domenico Maggiore, 19) é uma das mais conhecidas.

2. Castelo do Ovo

Castelo do Ovo

O imponente Castelo do Ovo destaca-se no golfo de Nápoles. Deve o seu nome à lenda segundo a qual o poeta Virgílio teria escondido um ovo mágico nas fundações da fortaleza que a manteria intacta. O destino do castelo e da cidade de Nápoles estaria pois ligado ao ovo – quebrá-lo traria ruinosas catástrofes.

O edifício actual data do século XV, e surge num promontório do ilhéu do Megáride, ponto de desembarque dos cumanos que, no VI a.C., terão fundado o primeiro núcleo da futura Nápoles. Vale a pena uma visita ao Castelo do Ovo pelas vistas que oferece das suas muralhas. A entrada é gratuita.

3. Basílica de Santa Clara

Claustro do complexo de Santa Clara

O complexo de Santa Chiara inclui a basílica, um claustro, um jardim e um museu arqueológico. O contraste entre a paz do local no coração de Nápoles e a agitação em redor não podia ser maior. O interior luminoso da igreja é ladeado por capelas, cada uma contendo uma escultura ou um fresco. A basílica original no estilo gótico data do século XIV. Foi remodelada ao gosto barroco nos séculos XVII e XVIII, e restaurada na sua forma original após sofrer danos significativos durante a Segunda Guerra Mundial

Tem de sair da igreja para apreciar os claustros, com as suas impressionantes colunas e bancos revestidos com azulejos. Visite ainda o museu e aprecie os vestígios das antigas termas romanas descobertas durante excavações no local.

4. Catedral de Nápoles

Catedral de Nápoles

A Catedral de Nápoles, ou Duomo, foi construída no século XIII, em honra a São Januário, o santo padroeiro da cidade. A catedral combina o estilo gótico original com o barroco de remodelações posteriores.

Todos os anos, na manhã de 19 de Setembro, Dia de São Januário, milhares de fiéis reúnem-se no interior da igreja e na Piazza del Duomo na esperança de assistir ao milagre da liquefacção do sangue de São Januário. No interior, o relicário contém, em duas ampolas de vidro, que ficam expostas na catedral durante vários dias, o sangue seco do santo que viveu no século III. As festividades incluem ainda procissões e celebrações religiosas. O milagre ocorre em mais dois dias do ano.

5. L’Antica Pizzeria da Michele

Margherita

L’Antica Pizzeria da Michele é uma verdadeira instituição da cidade de Nápoles. Localizada no centro histórico desde 1870, a fama do estabelecimento, que reivindica fazer a melhor margherita do mundo, é muito anterior ao filme com Julia Roberts “Comer, rezar, amar”.

Locais e turistas fazem fila para os dois únicos tipos de pizza: a margherita, com tomate, queijo fior di latte (semelhante a mozzarella) e manjericão fresco, e a marinara, com tomate, alho e oregãos, ambas cozinhadas em forno a lenha. A pizzaria está aberta de segunda a sábado das 11h às 22h30. Durante a hora do almoço e do jantar, conte com 30 minutos de espera para obter uma mesa.

Endereço: Via Cesare Sersale, 1

6. Via San Gregorio Armeno

Loja de presépios na Via San Gregorio Armeno

A Via San Gregorio Armeno é outra rua no centro histórico de Nápoles que vale a pena uma visita. Conhecida como a rua dos presépios, esta artéria está repleta de oficinas de artesãos que criam e vendem as famosas figuras de Natal e outras personagens da cultura popular. Apesar de aberta todo o ano, Setembro e Outubro, antes do Natal, são os melhores meses para visitar por ser período durante o qual os artesãos prepararam as suas lojas para as festividades.

7. Museu Nacional de Arqueologia

Disputa entre Aquiles e Agamenon na Ilíada de Homero

O Museu de Arqueologia de Nápoles é um dos mais importantes e antigos museus arqueológicos de Itália e da Europa. Estabelecido no final do século XVIII, o museu possui uma das melhores colecções do mundo de antiguidades greco-romanas, incluindo mosaicos, vasos, vidros, numismática, terracotas e esculturas. Podem ainda ser apreciados objectos e artefactos da erupção do monte Vesúvio no ano de 79 d.C. A colecção egípcia inclui artefatos provenientes de Pompeia e de sítios arqueológicos vizinhos.