O Que Ver e Fazer no Porto – 12 Melhores Atrações

O Porto é a segunda cidade de Portugal, situada no noroeste do país. Conhecida mundialmente pelo vinho, a “Invicta” é uma cidade de pontes sobre o rio Douro, e de arquitectura tanto antiga como contemporânea.

O centro histórico do Porto, classificado Património Mundial pela UNESCO, sugere a continuação no tempo de um espaço urbano com 2 mil anos de existência.

A imponente Sé, as inúmeras igrejas, a estação ferroviária de São Bento e a ponte D. Luís são algumas das atrações turísticas de visita obrigatória. Fora do perímetro tradicional, Serralves e a Casa da Música revelam uma dimensão mais contemporânea da cidade do Porto.

Dentro e fora do centro histórico, propomos um conjunto de atrações que não vai querer perder numa visita a esta cidade nortenha.

1. Ribeira

Ribeira do Porto a partir de Vila Nova de Gaia

A Ribeira do Porto faz parte do centro histórico do Porto que é Património Mundial da UNESCO. É hoje uma das zonas mais turísticas da cidade, repleta de cafés e restaurantes. Ainda assim, não perdeu o seu encanto de bairro de origem medieval. Com o rio Douro sempre presente, e Vila Nova de Gaia na outra margem, a zona da Ribeira é um espaço para descobrir a pé.

2. Torre dos Clérigos

Torre dos Clérigos

A Torre dos Clérigos é um edifício incontornável do Porto. Faz parte do conjunto arquitectónico que inclui a igreja e a Casa da Irmandade, que em 2014 foi convertida em museu. Projectado por Nicolau Nasoni no século XVIII, o edificado revela a irregularidade e o exagero das formas bem ao gosto do estilo barroco português. Não deixe de subir os 225 degraus até ao topo da torre para uma vista panorâmica do Porto a mais de 75 metros de altura.

3. Sé

Vista da Sé do Porto

A Sé do Porto é uma catedral imponente cuja construção se iniciou no século XII, prolongando-se até ao século XIII. O edifício combina elementos românicos (fachada, torres, rosácea, três naves do corpo da igreja) e góticos (capela funerária, claustro). O exterior foi modificado na época barroca, com a adição da galilé lateral, das balaustradas e das cúpulas das torres, e a substituição do portal românico original. Para além do edifício, vale a pena apreciar as vistas do terraço.

4. Palácio da Bolsa

Salão Árabe

O Palácio da Bolsa é a antiga bolsa, e hoje sede da Associação de Comércio do Porto, que aqui realiza reuniões e eventos. O edifício do século XIX combina estilos arquitectónicos, com predomínio do neoclássico. Mas é o seu sumptuoso interior que fascina os visitantes, com destaque para o Salão Árabe, inspirado no Palácio de Alhambra de Granada.

5. Estação de São Bento

Átrio da Estação de São Bento

A estação de caminhos-de-ferro do Porto é outra das visitas obrigatórias numa visita à cidade. O edifício, com cobertura de vidro e ferro fundido, data do início do século XX, sendo da autoria do arquitecto Marques da Silva. No interior, o átrio principal está revestido com vinte mil azulejos do pintor Jorge Colaço, que retratam cenas da história portuguesa.

6. Ponte D. Luís

Ponte D.Luís

A Ponte D. Luís é uma ponte em estrutura metálica, com dois tabuleiros sobrepostos. O tabuleiro superior, onde hoje circula o metro do Porto, foi inaugurado em 1886, e o inferior dois anos depois. A ponte foi projectada pelo engenheiro belga Theóphile Seyrig, discípulo de Eiffel. Possui aquele que ainda hoje é considerado o maior arco do mundo em ferro forjado. Não deixe de fazer a travessia, a pé ou de metro, até Vila Nova de Gaia.

7. Caves do Vinho do Porto

Visita às Caves do Vinho do Porto

Caves do Vinho do Porto – Calém

As caves do vinho do Porto, situadas na margem oposta à Ribeira, em Vila Nova de Gaia, oferecem uma oportunidade única para conhecer todos os segredos associados à produção do precioso néctar, conhecido além-fronteiras há vários séculos.

8. Livraria Lello

Fachada da Livraria Lello

A Livraria Lello é considerada um dos mais belos espaços de leitura do mundo. Foi inaugurada em 1906 na Rua das Carmelitas, causando sensação no meio cultural da época. Mais de um século volvido, a Livraria Lello continua a causar sensação em todos aqueles que a visitam e apreciam a fachada e o vitral originais (restaurados) e a sua manutenção como espaço de disseminação da cultura no Porto.

9. Mercado do Bolhão

Banca do Mercado do Bolhão

O Mercado do Bolhão é o mais emblemático dos mercados do Porto, onde se vendem produtos frescos, como frutas, legumes, carne, peixe, queijos, pão, azeitonas. Ocupa um edifício neoclássico de 1914, que combina betão armado e estruturas metálicas. Com obras de requalificação previstas para 2018, o Mercado do Bolhão vai continuar a ser um espaço de referência da cidade do Porto.

10. Café Majestic

Pormenor do Café Majestic

Fundado em 1921, o Majestic é um café histórico na pedonal Rua de Santa Catarina, e um dos melhores exemplares de Arte Nova nesta cidade nortenha. Ponto de encontro de escritores e artistas da Belle Époque, o Café Majestic não escapou ao declínio deste tipo de estabelecimentos a partir da década de 1960.

Porém, a beleza do edifício e o significado histórico do local valeram-lhe a classificação de Imóvel de Interesse Público no início dos anos 1990. A recuperação do espaço significa que, numa atmosfera de Belle Époque, pode deliciar-se com rabanadas envoltas em creme de ovos e frutos secos (uma das especialidades da casa), acompanhadas de chá ou café.

11. Museu de Serralves

Casa de Serralves

O Museu de Serralves ocupa um edifício da autoria do arquitecto Álvaro de Siza, integrado no Parque de Serralves, com cerca de 18 hectares. Para além do enquadramento único, o museu é hoje uma referência internacional da arte contemporânea. Também no parque, situada num ponto alto, a Casa de Serralves é um exemplar único de arquitectura Art Déco em Portugal da década de 1930, cujo interior pode ser visitado.

12. Casa da Música

Casa da Música

A Casa da Música é outro ícone da arquitectura contemporânea na cidade do Porto. Projectada pelo arquitecto holandês Rem Koolhaas para o evento Porto Capital Europeia da Cultura, em 2001, a obra só ficou concluída em 2005.

Além do atraente edifício, ao nível do Museu Guggenheim de Bilbao, a sala de concertos tem uma programação inovadora, que vai desde a música clássica a tendências vanguardistas. No Restaurante Casa da Música, localizado na cobertura, pode apreciar uma cozinha com assinatura de autor a preços convidativos, acompanhada de vistas sobre a cidade.