O Que Visitar na Rússia – 10 Atrações Turísticas

0

A Rússia é o maior país do mundo em área e um território de contrastes, com regiões geladas sob a influência do frio da Sibéria e praias subtropicais no sudoeste do país, em locais como Sochi que, em 2018, vai acolher o Campeonato Mundial de Futebol.

O monte Elbrus, a maior montanha da Europa, o lago Baikal, o mais antigo lago do mundo, Suzdal, um verdadeiro museu ao ar livre, e as imponentes cidades de Moscovo e São Petersburgo, são alguns dos locais na Rússia que oferecem experiências únicas. Para atravessar a imensidão deste território, há ainda o mítico transiberiano.

Conheça 10 atrações turísticas que vão inspirar um itinerário inesquecível neste imenso país que é a Rússia.

Catedral de São Basílio

Vista da Catedral de São Basílio

Localizada na Praça Vermelha, em Moscovo, a Catedral de São Basílio é uma das principais atrações turísticas da Rússia. Mandada construir por Ivan, o Terrível, para celebrar a vitória na batalha de Kazan, em 1552, esta catedral ortodoxa atrai visitantes pela sua arquitectura única, donde sobressaem as cores e formas geométricas das cúpulas a simular labaredas. Classificado Património Mundial da Humanidade da UNESCO desde 1990, não existe no mundo nenhum edifício semelhante.

Museu Hermitage

Hermitage

Hermitage – Palácio de Inverno

Fundado em 1764 por Catarina II, o Museu Hermitage em São Petersburgo é um dos museus de arte e cultura mais famosos do mundo pelo vasto espólio que possui. São cerca de 3 milhões de peças distribuídas por 10 edifícios na cidade, de diferentes estilos e épocas, ligadas às culturas russa, europeia, oriental e do norte de África. Sete desses dez edifícios são eles próprios monumentos históricos de grande importância, com destaque para o Palácio de Inverno, a antiga residência oficial dos czares até a queda da monarquia russa.

Suzdal

Catedral da Transfiguração no Mosteiro de Santo Eufémio Redentor

Nenhuma cidade na Rússia se encontra tão intacta como Suzdal, uma das mais antigas cidades do país. Suzdal escapou à industrialização do país, e é hoje a joia do Anel de Ouro, um conjunto de cidades históricas russas localizadas entre o nordeste de Moscovo e o sudeste de São Petersburgo.

Suzdal foi a capital da Rússia no século XII, ainda Moscovo era ainda um mero um conjunto de estábulos. Numa atmosfera rústica de aldeia, Suzdal é guardiã de diversos monumentos classificados pela UNESCO, como o Kremlin de Suzdal, predecessor do Kremlin de Moscovo, a inconfundível Catedral da Natividade do século XIII, com as suas cinco cúpulas azuis decoradas com estrelas, o Santo Eufémio Redentor, de 1352, o maior dos mosteiros, que alberga inúmeros edifícios dos séculos XVI e XVII e mais de 10 museus, ou o Convento da Intercessão para onde os czares enviavam as mulheres que os desiludiam.

Como chegar a Suzdal
Localizada a cerca de 220 km de Moscovo, pode apanhar o comboio expresso na estação Kurskaya em Moscovo para Vladimir, uma viagem que dura cerca de 1h40. A estação de autocarros de Vladimir fica a 50 metros da estação de comboios, de onde os autocarros para Suzdal partem com uma frequência de meia hora.

Lago Baikal

Vista do Lago Baikal

Muitos viajantes do transiberiano incluem no itinerário uma paragem no lago Baikal, o mais profundo e antigo lago do mundo. Formado há 25 milhões de anos, contém 20% da água doce do planeta. Localizado na Sibéria, o lago é rodeado por cadeias montanhosas e vales. A paisagem é a única atração deste local, podendo ser apreciada em passeios a pé pelos trilhos, de carro pelas deslumbrantes estradas de Baikal, ou de barco. O comboio transiberiano faz paragem em Irkutsk e Ulan-Ude, portas de entrada para uma visita inesquecível ao lago Baikal

Ilha Kizhi

Igreja em madeira na ilha de Kizhi

Kizhi é uma ilha localizada no noroeste da Rússia, próximo da fronteira com a Finlândia e o mar Branco. Com três grandes igrejas de madeira e várias construções pitorescas espalhadas pelo território, a ilha de Kizhi é um dos destinos turísticos mais populares da Rússia. Este museu ao ar livre inclui a Igreja da Transfiguração com 37 metros de altura, uma das maiores do mundo, famosa pelas 22 cúpulas. As igrejas e a torre-de-sino em madeira foram construídas com troncos de pinheiro, transportados do continente no século XVIII, utilizando uma técnica sem recurso a pregos e parafusos.

Veliky Novgorod

Mosteiro Yuriev

Fundada no século X, Veliky Novgorod é uma das cidades históricas mais antigas e importantes da Rússia, que reivindica ter sido o berço do país. A cidade, localizada no norte do país, próximo do Báltico, foi um parceiro privilegiado da Liga Hanseática entre os séculos XII e XVII, e a ligação entre a Europa medieval e a Rússia, na fronteira entre as duas civilizações.

Em Veliky Novgorod, pode visitar vários monumentos, como a Torre do Relógio, a Catedral de Santa Sofia, a mais antiga igreja da Rússia, construída entre 1045 e 1050, a Fonte Hanseática e diversos museus sobre ferro, porcelana e a história da região. A cidade é também conhecida pela borscht, uma sopa tradicional com beterraba que lhe dá a tonalidade vermelha.

Transiberiano

Linha férrea transiberiana

O famoso comboio transiberiano liga Moscovo a Vladivostok, uma cidade russa na fronteira com a China e a Coreia do Norte. Esta ligação é apenas um troço da mais longa linha férrea do mundo, cuja construção foi iniciada em 1891 pelo czar Alexandre III, ficando concluída em 1916 pelo seu filho, o czar Nicolau II.

De dois em dois dias, o comboio Rossiya deixa Moscovo numa viagem que percorre 9 259 km em 6 dias, com destino a Vladivostok. A viagem pode ser dividida em secções (a opção escolhida por muitos viajantes) e incluir paragem em Irkutsk para visitar os museus e igrejas, e em Kazan e Yekaterinburg, se o tempo permitir. O comboio tem camas confortáveis em cabines de primeira, segunda e terceira classes, algumas com casas de banho privativas. O preço em segunda classe ronda 580 euros, e a viagem em primeira classe custa aproximadamente 930 euros, com refeições incluídas.

Monte Elbrus

Monte Elbrus

Localizado na cordilheira do Cáucaso, no sul da Rússia, próximo da fronteira com a Geórgia, o monte Elbrus, com 5 642 metros de altitude, é a montanha mais alta do país e da Europa. Formado a partir de um vulcão agora extinto, o monte Elbrus atrai alpinistas experientes e iniciados. Tecnicamente, é uma das montanhas mais fáceis de escalar, dadas as paredes ásperas. O principal perigo são as condições meteorológicas pouco favoráveis que se fazem sentir nas altitudes mais elevadas. Existe um teleférico que transporta os visitantes até 3 800 metros de altitude, o que facilita a subida até ao pico.

Sochi

Vista de Sochi

Entre o mar Negro e as montanhas do Cáucaso, no sudoeste da Rússia, Sochi é uma estância balnear e uma cidade diferente, talvez menos russa. Com um clima subtropical húmido, e 300 dias de sol por ano (algo raro na região), as temperaturas no Inverno raramente descem abaixo de zero, contrastando com as temperaturas negativas que se fazem sentir em Moscovo ou São Petersburgo. No Verão, são sobretudo as praias e as temperaturas de 30ºC durante o dia que atraem visitantes a esta Riviera russa. Sochi possui ainda uma área protegida conhecida como Reserva da Biosfera do Cáucaso e as plantações de chá mais a norte do planeta.

Em 2014, o resort de esqui perto de Sochi acolheu os Jogos Olímpicos de Inverno, o que colocou a cidade nas bocas do mundo. Em 2018, a cidade vai acolher o Campeonato Mundial de Futebol.

Vale dos Geiseres

Vale dos Geiseres

Localizado na Península Kamchatka, no extremo oriente da Rússia, o Vale dos Geiseres é um extenso campo de aproximadamente 90 geiseres e várias fontes termais, considerado uma das maravilhas do país. Com uma bacia de 6 km, este local foi descoberto em 1941 pela cientista russa Tatyana Ustinova. No entanto, apenas na década de 1970 é que o local se tornou um destino popular procurado por cientistas e turistas. Foram dados nomes a três dezenas de geiseres; o Velikan é um dos mais impressionantes, que produz um jacto de água capaz de atingir 40 metros de altura.

Partilhar.